fbpx

Dia dos namorados 2021: 5 restaurantes revelam suas estratégias para alavancar os negócios na data

Dia dos namorados 2021: 5 restaurantes revelam suas estratégias para alavancar os negócios na data

Diferente do ano passado, estabelecimentos podem abrir espaços físicos com a capacidade reduzida e já estão acostumados com a pandemia. Além de pratos exclusivos, marcas adaptam o cardápio, buscam embalagens diferenciadas e propagam comemorações durante toda a semana
Se em 2020 os restaurantes foram pegos de surpresa com a chegada da pandemia de Covid-19 ao país três meses antes do Dia dos Namorados, este ano o cenário é bem diferente para o dia 12 de junho. Mesmo com a manutenção da doença nos estados e municípios brasileiros em patamar delicado, a perspectiva é positiva por conta da reabertura parcial dos estabelecimentos.

Agora, muitos empreendedores estão dobrando as apostas em estratégias já experimentadas na data e ao longo de 2020. Algumas delas são o uso do delivery e apps de entregas, a busca por embalagens mais sofisticadas e a oferta de cardápios exclusivos e promoções para determinados pratos e combos. A novidade é que alguns empresários resolveram adotar a “Semana dos Namorados”, para se adequar às restrições de horários e evitar filas e aglomerações em um único dia.

Todo o esforço feito para agradar os consumidores tem um motivo: a data é a principal para os restaurantes, comparável à importância da Páscoa, para os chocolateiros, e ao Natal e à Black Friday, no caso dos varejistas de eletroeletrônicos e eletrodomésticos.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) não faz estimativas do giro financeiro, mas ressalta que o próximo sábado (12/6) deve ser movimentado, mesmo com algumas restrições. “Não há chance de ser neutro, pois é um dia em que o setor trabalhará em capacidade máxima”, afirmou a Abrasel, por meio de nota.

PEGN conversou com cinco empresários e traz algumas dicas para o seu negócio se dar bem e atender as expectativas dos clientes com excelência.

Confira:

PIZZA PRIME
Na Pizza Prime, a estratégia também foi utilizar o delivery, o que não foi um entrave. Mesmo com a perda dos cinco maiores restaurantes da rede, que têm capacidade para atender entre 200 a 300 pessoas, boa parte funciona no modelo express. Em 2020, com as portas dos estabelecimentos fechadas, a rede obteve uma receita próxima à de 2019.

“Para nós, o Dia dos Namorados é a principal data do ano. O ano passado foi muito bom, mas 98% dos pedidos aconteceram via delivery”, diz o sócio diretor da Pizza Prime, Gabriel Concon.

Para 2021, com a possibilidade de receber clientes, a ideia foi trabalhar campanhas focada no final de semana (de 11/6 a 13/6). “Vamos aproveitar esse momento para desenvolver a Semana dos namorados, para quem quiser comemorar antes e depois. Para isso, temos algumas ferramentas, como a restrição do cardápio, para ter uma capacidade de produção maior, e a contratação de motoboys e pagamentos de horas-extra, para ter um fluxo de envio mais rápido”, pontuou Concon.

Segundo ele, as restrições para facilitar a operação passam exclusivamente pelas bordas. As cerca de 70 opções, incluindo pizzas veganas, estão mantidas. Com 55 lojas abertas, espalhadas nos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Bahia, Amapá e Pará, a Pizza Prime tem presença mais forte na cidade de São Paulo, nos municípios do ABC paulista e na região de Campinas (SP).

Para 12 de junho, o executivo da marca acredita que os consumidores devem demandar delícias que ficam em um nível intermediário, como quatro queijos, pizza fit e calabresa. A perspectiva é elevar o faturamento entre 20% a 25% na comparação com o ano passado.

“Mesmo nos anos anteriores, como a gente já tem uma base de clientes muito forte. Normalmente, tem que parar de atender em um determinado horário. Agora, a situação é ainda mais favorável do em 2020”, finalizou.

Veja a matéria completa

Adicionar Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SUBIR